• Luciana Reis

Projeto de renda solidária em Olinda envolve guias turísticos locais


A ideia teve origem a partir de desdobramento de projeto social iniciado na década de 80, por Dom Hélder Câmara, e persiste até hoje pelas ruas da cidade pernambucana

Assim que Luís avista os turistas, já oferece a possibilidade de apresentar a Igreja da Sé de Olinda em detalhes aos recém-chegados nesta cidade histórica, que está ao lado da capital pernambucana.

Ele faz parte da chamada Associação dos Condutores Nativos de Olinda, a ACNO, que teve origem em iniciativas ainda nos anos 80, quando grupos de crianças e adolescentes de origem humilde e socialmente vulneráveis foram organizados na chamada Casa do Guia Mirim, a partir de um projeto de Dom Hélder Câmara, que foi nomeado o arcebispo emérito de Olinda e Recife em 1964.

Luís era uma das crianças, e é com um tom de voz diferente que fala sobre o local em que Dom Hélder está sepultado, no interior da Igreja da Sé. Para Luís e outros guias deste projeto é grande a importância desta iniciativa que prosseguiu até a década de 90. O apoio, apesar de não ter continuado da mesma forma nos anos seguintes, foi retomado em 2006 pela atitude de um dos antigos guias mirins.

Atualmente, a abordagem dos turistas pelos guias revela a hospitalidade e simpatia, traços comuns entre os moradores locais. Todos estão identificados e, ao final de mostrarem os principais pontos da cidade de Olinda, convidam os turistas a uma contribuição para que o projeto seja mantido.

Na Igreja da Sé, por exemplo, os guias explicam características arquitetônicas e históricas da construção, mostram onde os portugueses lutavam contra os holandeses – estes últimos conseguiram conquistar, no século XVII, as então vilas de Recife e Olinda – além de mostrar o espaço onde está a cama onde João Paulo II dormiu quando visitou Recife, em 1980. E tudo isso com a linda vista de Olinda e o mar ao fundo.

A Igreja da Sé (também conhecida como Igreja de São Salvador do Mundo) passou de antiga capela de taipa a catedral, e enfrentou diversas mudanças ao longo dos séculos. A restauração mais recente foi concluída em 1983.

A importância de um projeto de renda solidária


Um projeto que integra economia solidária, turismo, inclusão e assistência. Essa é a síntese do projeto da Associação dos Condutores Nativos de Olinda, e de como é possível promover o desenvolvimento da economia local e ajudar no combate à exclusão social. Entre os guias que participam do projeto é comum o interesse por estudar e construir uma nova vida, inclusive iniciando um curso de turismo, por exemplo.

A iniciativa acaba por gerar oportunidades e renda a pessoas que enfrentam dificuldades de integração na sociedade, e muitos problemas econômicos e sociais, além de promover uma troca de experiências e contato entre os guias e os turistas, com a disseminação da cultura, história e arte locais e valorização do turismo na localidade.

O trabalho de Dom Hélder Câmara


Dom Hélder Câmara foi reconhecido por suas ações pela defesa de causas sociais e dos direitos humanos. Nascido no Ceará, iniciou na década de 50 obras sociais como a Cruzada de São Sebastião e o Banco da Providência, ambos para ajudarem as pessoas mais necessitadas.

Dom Hélder Câmara teve uma participação ativa na denúncia das torturas e autoritarismo cometidos durante a ditadura militar, apoiou movimentos estudantis, movimentos contra a fome e miséria e a ação operária.

Mesmo depois de ter deixado de ser arcebispo de Olinda e Recife, no ano de 1985, Dom Hélder permaneceu na defesa pelos mais pobres em projetos e ações como a campanha “Ano 2000 Sem Miséria”. Seu reconhecimento internacional também merece destaque, com indicações ao Nobel da Paz, e recebimento de troféus, medalhas e diplomas. Mesmo após seu falecimento, em 1999, suas ações permanecem trazendo reflexos à sociedade.

Imagens (respectivamente): Arquivo Pessoal; Henri Olivier/Férias Brasil; EcoViagem; Arquivo/Canção Nova

#sociedadedaconfiança #rendasolidária #DomHélderCâmara

Empresário Cristão 2020 • Todos os direitos reservados